quinta-feira, 29 de novembro de 2012


Andrei Polikanov 

É diretor de fotografia da Russian Reporter Magazine. Nascido em 1961, na capital russa Moscou, se formou no Instituto Militar de Línguas Estrangeiras em 1987. Ao longo dos seis anos seguintes, serviu em várias missões na Angola, como oficial. No início de 1990, Polikanov trabalhou como freelancer com Anthony Suau, Morris Christopher, Stanley Greene e outros importantes fotojornalistas internacionais, produzindo histórias para grandes revistas, como Time, The New York Times Magazine, Stern, Focus e Paris Match. Esses trabalhos foram realizados em territórios da antiga URSS (incluindo conflitos em Nagorno-Karabakh, Chechênia, Transnístria, Abkházia e Tajiquistão). De 1996 a 2007, Polikanov trabalhou como editor de fotografia da revista Time, em Moscou. A partir daí, se tornou diretor de fotografia da Russian Reporter Magazine. Polikanov é jurado de vários concursos nacionais e internacionais de fotografia, como Visa d'Or, Press Photo, Interfoto Rússia, entre outros. Também foi juiz do programa educacional World Press Photo para o Oriente Médio e Norte da África (MENA). Ministra, desde 2005, diversas oficinas sobre fotojornalismo. Foi ainda mentor na Escola de Verão Internacional de Fotografia e na Escola Dinamarquesa de Mídia e Jornalismo.

Imagem sem Fronteiras


O projeto Imagem sem Fronteiras levará, ao longo de 2012, os maiores fotojornalistas contemporâneos para Taguatinga. Mensalmente, um consagrado repórter fotográfico irá expor suas obras e realizar palestras e bate-papos com o público da cidade. O objetivo é contribuir para a disseminação da cultura fotográfica e incentivar a formação de profissionais e estudantes de Fotografia, Cinema e Jornalismo. Participarão do Imagem sem Fronteiras cinco fotojornalistas brasileiros e cinco estrangeiros, vindos de países como Espanha, Portugal, Estados Unidos e México. Esse intercâmbio cultural envolverá profissionais com obras publicadas em importantes veículos midiáticos do mundo. Registros de momentos marcantes da história nacional e mundial, como guerras, revoluções políticas e glórias esportivas, serão apresentados ao público. Com financiamento do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal, as atividades do projeto são sempre realizadas na Galeria Olho de Águia, em Taguatinga Norte.No dia 30 de novembro, sexta-feira, o Imagem sem Fronteiras lança exposição com Andre Polikanov, editor de fotografia da Russian Reporter Magazine. A mostra será composta por varios painéis e projeções visuais com consagradas capas editadas por Polikanov. São imagens selecionadas, registradas por grandes fotojornalistas internacionais, em diferentes coberturas. Durante lançamento, o russo, que é o segundo convidado internacional do Imagem sem Fronteiras, conversará com o público e falará sobre a experiência de selecionar os trabalhos de profissionais da reportagem fotográfica.
SERVIÇO
Exposição Andrei Polikanov 
Lançamento: 30 de novembro (sexta-feira), às 21h 
Visitação: de 1º a 20 de dezembro, das 10h às 12h e das 14h às 18h (de terça a sábado) 
Local: Galeria Olho de Águia (CNF 01, Edifício Praiamar, Loja 12 – Taguatinga Norte) 
Classificação indicativa: 14 anos 
Entrada franca

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Convocação à Academia Taguatinguense de Letras



Mantendo sua linha de desconhecimento da importância de nossa Academia para a cultura, educação e literatura do Distrito Federal,  bem como de insistir deliberadamente em ignorar a opinião de nosso  Sodalício sobre assunto de tamanha importância, a ponto de não mencionar, em sua programação, nenhum dos escritores de  nosso Sodalício, o movimento TAGUACULTURAL, com o beneplácito da SEDF/Secretaria de Cultura, excluiu o nome da ACADEMIA TAGUATINGUENSE DE LETRAS de sua programação. A gravidade dessa exclusão, já denunciada ao Executivo e Legislativo, como todos sabemos, visa, de forma sub-reptícia, o desmonte do Espaço Cultural de Taguatinga e,  em seu lugar, a implantação do chamado Complexo Cultural EIT, sem previsão da permanência de nossa Academia no atual Espaço e naquele  que pretendem concretizar. Noticia-se, também, aos Acadêmicos que  há previsão de derrubada de todos os prédios existentes no Espaço, o que lembra antigas práticas promovidas pelos nazistas quando, em praça pública, incineravam livros dos intelectuais alemães e, por ocasião da ocupação da Holanda, fizeram a derrubada de bibliotecas públicas. 
Diante dessa expectativa dantesca, a Academia Taguatinguense de Letras, líder da resistência contrária a esse projeto insensato, convoca todos os Acadêmicos para participarem do Seminário Cultural do GDF/SEDF, no Teatro da Praça, no dia 29/11/2012, a partir das 14 horas, ocasião em que, perante o Plenário desse Seminário, como intelectuais conscientes, apresentaremos nossa palavra de protesto e desapoio ao
projeto, em defesa dos artigos 215 e 216 da Constituição da República Federativa do Brasil.



Gustavo Dourado
Presidente da Academia Taguatinguense de Letras
Veja abaixo a programação não divulgada do dito "Seminário":
29 de novembro (quinta):14h às 17h.
Mesa 7 – Apresentação do Projeto da SEDF para o Tombamento e Criação do Complexo Cultural EIT, levantamento de propostas, encaminhamentos e avaliação do seminário.

Complexo Cultural EIT – Educação Integral e Cultura. Caminhos para a cidadania
Mediadora: Drª Eloísa Pereira Barroso – Professora do Departamento de História da UnB;
Participantes:
Profª Maria Luíza Fonseca do Valle - Secretária Adjunta de Educação do DF;Movimento Taguacultural
Miguel Ribeiro - Secretário Adjunto de Cultura do DF;
Carlos Alberto Jales – Administrador de Taguatinga (a confirmar);
Chico Simões - Mamulengueiro e ativista cultural - Representante do Movimento Taguacultural;
Marco Antônio Gomes - Presidente do Conselho Regional de Cultura de Taguatinga;
Profª Flávia Felipe – Professora de Sociologia do CEMEIT, coordenadora do Cineclube EIT e ativista do Movimento Taguacultural.
Debate aberto ao público

Fernando Abreu lança, nesta quarta, o livro Aliado involuntário

28/11/2012
Fernando Abreu lança, nesta quarta, o livro Aliado involuntário

Fernando Abreu lança o terceiro livro da carreira, Aliado involuntário
O poeta maranhense Fernando Abreu lança, nesta quarta-feira (28/11) às 18h30, na livraria Sebinho, Aliado involuntário da Exodus Editora. O livro é a terceira coletânea de poemas do escritor. A obra rompe um silêncio editorial de oito anos, depois da publicação de O umbigo do mudo (Clara Editora, 2003), segundo livro do artista. Nesta noite, o autor vai promover também uma sessão de autógrafos.

O novo livro, que já teve lançamentos em São Luís e São Paulo, traz 41 poemas com projetos do design gráfico Francisco Rogero e ilustrações do artista plástico Geetesh. Apresentado pelo poeta e ensaísta Reuben Cunha, a produção traz textos assinados pelo autor que comenta o processo de criação da nova obra.

Aliado involuntário tem como marca principal a presença de poemas longos e com uma oralidade ausente nos livros e poemas produzidos anteriormente pelo autor. Assim, o livro se diferencia dos outros por ir além do insight e evidenciar poemas que permitem reflexões.

Autor e outras obras

Fernando Abreu é maranhense de São Luís e viveu na cidade de Grajaú até a adolescência. Durante cerca de dez anos editou a revista de poemas Uns & Outros, ao lado de outros integrantes do grupo Akademia dos Párias, do qual foi um dos fundadores. Como letrista, tem parcerias com Zeca Baleiro, Nosly e Chico César, entre outros.

Antes de Aliado involuntário o autor escreveu Relatos do escambau (Exodus, 1998) e O umbigo do mudo (Clara Editora, 2003).

Fonte: http://divirta-se.correioweb.com.br/materias.htm?materia=17451&secao=Programe-se&data=20121112

Escritores brasileiros desejam romper isolamento do mundo hispânico




Publicação: 28/11/2012 09:38 Atualização: 28/11/2012 09:43

GUADALAJARA - A literatura brasileira é uma incógnita para a maioria dos leitores de língua espanhola, mas vários autores brasileiros presentes na Feira Internacional do Livro de Guadalajara (oeste do México) disseram à AFP que estão decididos a romper esse isolamento crônico.

Dezenas de escritores do Brasil foram enviados pelo governo a Guadalajara para o evento editorial mais importantes da América Latina. No ano passado, apenas dois ou três escritores brasileiros estavam presentes. "Vivemos isolados e isso não aconteceu agora, foi assim por tanto tempo que parece que a ideia de que não somos latino-americanos é aceita, mas também não somos africanos, nem europeus; somos uma ilha muito solitária no cenário regional", comentou Luiz Ruffato.

"Isso tem que mudar, eu quero que mude e meus colegas que estão na feira e os que não vieram desejam o mesmo", acrescentou o autor de "Mamma, son tanto felice" (Elephas, 2011).

Segundo Ana Maria Machado, que recebeu na noite de terça-feira (27/11) o Prêmio Ibero-americano de Literatura Infantil e Juvenil pelas dezenas de livros publicados em vários idiomas, "é injusto que eu seja uma exceção". "A literatura brasileira é muito vasta. Isto (o isolamento) tem que mudar logo, não podemos continuar de costas uns para os outros".

Para alguns escritores como Marçal Aquino, autor de "Receberia as piores notícias de seus lindos lábios" (2005), e Cíntia Moscovich, que escreveu O reino das cebolas (1996), o idioma é a principal barreira para a difusão no espanhol da literatura brasileira. "Estamos cercados por países que falam espanhol. Outro problema é a localização afastada de nosso país do centro do continente", disse Aquino.

Clichês e modas

Paula Parisot, Moscovich e Ruffato publicaram livros em espanhol, mas os três reconhecem que não foi um caminho fácil.

Um dos primeiros problemas é que "os editores (de outras regiões) querem literatura com cor local; que tenha sexo, carnaval, praia, coisas exóticas, mas nossa literatura não pode estar presa a isso porque somos um país cosmopolita", disse Moscovich.

Outro obstáculo são as "modas literárias", acrescenta Aquino. "Agora parece que a Ásia é a região favorita dos grupos editoriais e por consequência, dos leitores", mas esse é um problema que pode ser superado, diz.

Nobel perdido

O desconhecimento de escritores brasileiros fez com que grandes autores como Clarice Lispector, ficassem conhecidos depois de mortos, comenta Iona N. Pieleanu, diretora editorial do selo mexicano Elephas, que têm contratos com dois escritores nacionais.

"Eu acredito que Lispector (autora, por exemplo, de 'Aprendizagem' ou 'O livro dos prazeres', de 1969, publicado em espanhol em 1994 pela Siruela) merecia o Prêmio Nobel, mas o mundo não a conheceu enquanto ela vivia e atualmente há muitos escritores desse país incrivelmente bons", disse Pielenau. Encontrar tradutores do português para o espanhol para Elephas, uma editora independente e nova, foi difícil.

Selma Ancira, prêmio de tradução Tomas Segovia, instaurado este ano na feira, explica que "o problema da tradução de outras línguas está na complexidade do espanhol, e com línguas irmãs, como o português, o risco de cometer erros é maior porque podem confundir palavras que soam iguais, mas que têm significados totalmente diferentes".

Jorge Castellano, diretor geral de Elephas, disse que depois de uma árdua busca "encontramos um grupo de tradutores do português ao espanhol excelentes, apoiados pela embaixada de Brasil, formados na Universidade Nacional Autônoma do México, assim, estamos prontos para conhecer mais autores brasileiros que mostraram um interesse crescente por sair de seu país".

sábado, 24 de novembro de 2012

Poemação XXXI Homenagem ao poeta Salomão Sousa


Poemação XXXI
Homenagem ao poeta Salomão Sousa
Um Sarau Videoliteromusical

A Biblioteca Nacional de Brasília Leonel de Moura Brizola realizará no dia 04 de dezembro de 2012, o Trigésimo Primeiro Sarau – Poemação  em homenagem ao poeta Salomão Sousa.

Salomão Sousa é natural de Silvânia (GO). Começou ainda na infância com a poesia, inicialmente, com literatura de cordel e, em seguida, aos dezesseis anos, dos modernistas. Passou antes de tudo pela poesia engajada com a terra, pela poesia marginal, e, finalmente, procura absorver as experiências das pós-vanguardas. Tem editado os seguintes títulos: A moenda dos dias, 1979, DF; A moenda dos dias/O susto de viver, Ed. Civilização Brasileira 1980; Falo, 1986, DF; Criação de lodo, 1993, DF; Caderno de desapontamentos, 1994, DF; Estoque de relâmpagos, Prêmio Bolsa Brasília de Produção Literária, 2002, DF; Ruínas ao sol, Prêmio Goyaz de Poesia, Ed. 7Letras, 2006; Safra quebrada, 2007. Além de organizar várias antologias, produz textos críticos para jornais e revistas.  A UBE (GO) concedeu-lhe em 2011 o Troféu Tiokô.

Cinthia Kriemler é Relações Públicas, carioca e mora em Brasília desde 1969. É poeta, contista e cronista. Autora do livro de crônicas "Do todo que me cerca", pela Editora Patuá, lançado em 2012, e do livro de contos "Para enfim me deitar na minha alma", projeto aprovado pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, lançado em 2010.
É colunista da Revista SAMIZDAT e da Revista Andaluz, publicações literárias eletrônicas, e tem textos publicados no site Ares e Mares, que congrega escritores de países lusófonos.

Antonio da Costa Neto nasceu em Silvânia (GO), 1954. Radicado em Brasília – DF, onde trabalha como professor universitário, pesquisador, conferencista, consultor e artista plástico, com várias exposições e alguns prêmios. Sua estreia no campo da escrita deu-se em 1 997, quando publicou: Educação alienante existe - Brasília-DF; Ed. Photolitto, (1993); Paradigmas em educação no novo milênio. –Goiânia- GO; Ed. Kelps (1997); Anjo sem asas –- Goiânia-Go; Ed. Kelps (2007); Meu nome é Ceilândia –, em parceria com José Moacir Vieira de Sousa – Goiânia-Go. Ed. Kelps (2009); dentre outros. Em homenagem à Vó Herculana relança no Sarau Poemação o livro Poemas Para Os Anjos Da Terra.                
 Hézio Teixeira é natural de Cel. Fabriciano (MG) nascido em 12.12.1954. Viveu a infância e adolescência no Espírito Santo, onde iniciou sua vivência com a poesia, declamando em festas religiosas evangélicas e na no ensino fundamental (ginásio, na época). Mudou-se para Brasília em 1977, trabalhando como vendedor e representante comercial. Autor do livro Nau Frágil – poesia, idealizador e curador da Exposição Permanente de Poesia Eu Lírico e do sarau Poesia Encena.  Jornalista, coordenador editorial da revista Negociador.             
  Geraldo José de Oliveira nasceu em 24 de setembro de 1961, no município de Campos Sales-CE e reside atualmente em Brasília-DF, poeta, bancário, estudante de Gnosticismo e ativista de movimentos estudantis, sindicais, ecológicos e poéticos. Começou a escrever aos 17 anos. Em 1981 publicou o seu primeiro livro: "Proibido Olhar" com o patrocínio do GRAPEC, grupo de teatro amador de Juazeiro do Norte. Em 1989 publicou "Proibido voar". Nacos D’alma é a epifania do poeta, na busca pela morte/vida/vida/morte/vida, sintetizada nos versos que relança no sarau Poemação 31.
Fabio Barros é natural de Recife (PE). Radicado em Brasília, o cantor passeia entre a música internacional e nacional e coproduz o sarau do Anandrao  juntamente com Henrique Inácio e Anand Rao fica a cargo da parte musical.
 Ao final a plateia mostra o talento em Poesia na Plateia. Sorteio de livros para a plateia. O Poemação é realizado todas as primeiras terças feiras do mês no auditório da Biblioteca Nacional. Sob a coordenação dos poetas Jorge Amâncio e Marcos Freitas.                       

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

PELO AVESSO show com Aloísio Brandão


Academia Taguatinguense de Letras (ATL)comemora seu aniversário de 26




No próximo dia 24 de novembro, a Academia Taguatinguense de Letras (ATL) vai comemorar seu aniversário de 26 anos em grande estilo, com uma festa no Teatro da Praça (Espaço Cultural de Taguatinga), a partir das 19h. Um dos pontos altos da programação será a posse do escritor Pedro Gomes como acadêmico titular, na cadeira 21, patroneada por Augusto dos Anjos. A posse de acadêmicos beneméritos também será outro momento importante da festa, que contará com a participação de integrantes da comunidade cultural e artística de Taguatinga e do Distrito Federal.
O presidente da ATL/DF, escritor Gustavo Dourado, lembra que será um dos encontros mais especiais da academia que, ao completar 26 anos de existência, demonstra cada vez mais vitalidade, compromisso e engajamento com a causa cultural de Taguatinga e do Distrito Federal. Ele convida escritores, artistas, intelectuais e amigos da cultura a participarem deste grande evento, ocasião em que os apoiadores e colaboradores da ATL serão homenageados. Haverá ainda uma homenagem ao saudoso poeta Antonio Garcia Muralha, feita pelo escritor Wílon Wander Lopes, diretor do Jornal Satélite. Os acadêmicos também vão lançar livros e publicações. Todos farão uma homenagem aos centenários de Jorge Amado e Luiz Gonzaga. PARTICIPE!



Serviço:


Data: 24 de novembro de 2012 (Sábado), às 19h.
Local: Teatro da Praça - Espaço Cultural de Taguatinga.
CNB 1 Área Especial 1 - Av. Comercial Norte - Taguatinga Centro.
Ao lado da EIT - Em frente ao Santuário N. S. do Perpétuo Socorro,
Próximo à Estação do Metrô da Praça do Relógio.
Traje: Passeio completo.
Apoio: GDF - Administração de Taguatinga/SEDF e Câmara de Vereadores
Comunitários de Taguatinga (CVCT).
Confraternização literária seguida de coquetel.
Informações: 93281839/32011745 Gustavo Dourado.



Academia Taguatinguense de Letras (ATL)comemora seu aniversário de 26




No próximo dia 24 de novembro, a Academia Taguatinguense de Letras (ATL) vai comemorar seu aniversário de 26 anos em grande estilo, com uma festa no Teatro da Praça (Espaço Cultural de Taguatinga), a partir das 19h. Um dos pontos altos da programação será a posse do escritor Pedro Gomes como acadêmico titular, na cadeira 21, patroneada por Augusto dos Anjos. A posse de acadêmicos beneméritos também será outro momento importante da festa, que contará com a participação de integrantes da comunidade cultural e artística de Taguatinga e do Distrito Federal.
O presidente da ATL/DF, escritor Gustavo Dourado, lembra que será um dos encontros mais especiais da academia que, ao completar 26 anos de existência, demonstra cada vez mais vitalidade, compromisso e engajamento com a causa cultural de Taguatinga e do Distrito Federal. Ele convida escritores, artistas, intelectuais e amigos da cultura a participarem deste grande evento, ocasião em que os apoiadores e colaboradores da ATL serão homenageados. Haverá ainda uma homenagem ao saudoso poeta Antonio Garcia Muralha, feita pelo escritor Wílon Wander Lopes, diretor do Jornal Satélite. Os acadêmicos também vão lançar livros e publicações. Todos farão uma homenagem aos centenários de Jorge Amado e Luiz Gonzaga. PARTICIPE!


Serviço:

Data: 24 de novembro de 2012 (Sábado), às 19h.
Local: Teatro da Praça - Espaço Cultural de Taguatinga.
CNB 1 Área Especial 1 - Av. Comercial Norte - Taguatinga Centro.
Ao lado da EIT - Em frente ao Santuário N. S. do Perpétuo Socorro,
Próximo à Estação do Metrô da Praça do Relógio.
Traje: Passeio completo.
Apoio: GDF - Administração de Taguatinga/SEDF e Câmara de Vereadores
Comunitários de Taguatinga (CVCT).
Confraternização literária seguida de coquetel.
Informações: 93281839/32011745 Gustavo Dourado.



Show de Carlos Pial

terça-feira, 20 de novembro de 2012

De Viva Voz, de Anderson Braga Horta


Saiba mais sobre o livro: No livro De Viva Voz, Anderson Braga Horta apresenta temas muito diversificados: desde uma recordação saudosa em “Culinária Diacrônica” até poemas filosóficos, sempre primando pela simplicidade.

Mas diversa é também a forma. Compõem o livro poemas de versos livres entremeados com haicais e sonetos. Os sonetos se encontram ao longo da obra, mas a última parte – “Campo sem Tempo” – é composta somente deles. E aqui se acham verdadeiras joias do gênero, pois o autor de Fragmentos da Paixão, exímio sonetista, parece ter tido o capricho de fazer constar deste livro algumas das suas mais preciosas peças.

Em “Carta-Oração em Feitio de Poema à Força Jovem da América” veem-se imagens de grande alcance, como esta: Ontem, América, / forte e bela mulher, / descuidada e feliz em teus campos lavrados, / picou-te as plantas a serpente do ódio. / Das sombras faiscou o bote terrível / e voltou para as sombras.

E o poeta acaba por elaborar conjuntos de versos que resultam em sentenças. Vejamos estes, de “O Momento do Amor”: Um instante de amor é o campo intenso / em que a rosa do ser / desabrochada / resume a criação inumerável. Mas sentenças estão também em outros lugares. “Lendo Espinosa”, por exemplo, se fecha com esta: Aquilo que não seja / nem Amor nem Razão / não existe no Cosmos, / é sombra, é zero, é maia, / nada mais que ilusão.

Quando digo Puro Poema, não é só porque o livro contém um com o título de Puro. É principalmente porque cada poema de Anderson Braga Horta é decantado. Não no sentido de celebrado ou exaltado em cantos, mas no sentido de limpo, purificado. Nos seus poemas está a poesia. São pura poesia.

Por Napoleão Valadares


De Viva Voz

de Anderson Braga Horta

Data:
21 de novembro de 2012 (quarta-feira)
Horário: 18h30
Local: Restaurante Carpe Diem (SCLS 104 bloco D loja 01 – Asa Sul – Brasília
Informações: (61) 3344-3738

Finalistas - Prêmio Sesc-DF de Poesias Carlos Drummond de Andrade - 2012


Adelaide Ribeiro Jordão
Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira
Alberto Pereira de Araújo Filho
Alexandre Pastre Gonçalves
Ana Flávia de Melo Mendes Carvalho
Ania Reis de Aragão
Antonio Heriberto Catalão Junior
Auiri Tiago Nogueira dos Santos
Bernardo Guadalupe dos Santos Lins Brandão
Biagio Pecorelli Filho
Bruna Marta Avelar Ferreira
Carlos Alberto de Assis Cavalcanti
Ceuline Maria Medeiros Santiago
Cristina Garcia Lopes
Daniel Retamoso Palma
Daniella Ribeiro de Sousa Longuinho
Danilo Augusto de Athayde Fraga
Éder Rodrigues da Silva
Fátima Soares Rodrigues
Guilherme Henrique Bonin Salomone
Juliana Klinko
Luiz Carlos Mariano da Rosa
Luiz Renato Dantas de Almeida
Nédia Sales de Jesus
Nina Lorena Hollander Correia
Nina Ferreira Barreto
Odemir Paim Peres Júnior
Pedro Diniz de Araujo Franco
Reinaldo Ramos da Silva
Ricardo Carranza
Ricardo Mendonça Petracca
Roberta Andressa Villa Gonçalves
Rui Werneck de Capristrano
Simão Augusto Lopes Fernandes dos Santos
Viviane Maria Vilela de Vasconcelos


Fonte:
http://sesc.sistemafecomerciodf.com.br/portal/images/downloads/NOMES-DOS-CLASSIFICADOS-POESIAS-CARLOS-DRUMMOND1.pdf

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Lei propõe isenção fiscal a empresas que patrocinarem eventos locais


Gabriel de Sá
Publicação: 19/11/2012 08:15Atualização: 19/11/2012 08:25
 (Silvio Abdon/CLDF)

Há alguns dias, o governador Agnelo Queiroz enviou à Câmara Legislativa (CLDF) um projeto de lei que promete abrandar a insatisfação da classe cultural do Distrito Federal. Batizado de Lei de Incentivo à Cultura, o texto propõe que eventos ligados às artes sejam custeados por uma parcela do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de empresas privadas. Uma pequena fração do que seria pago ao GDF pelas entidades passaria a ser aplicado no setor da cultura. Caso seja implementado, apenas artistas, produtores e empresas do DF poderão participar do processo, e somente eventos realizados na região. O dia 13 de dezembro, em que ocorre a última sessão legislativa do ano, é o prazo para que a lei seja aprovada e aplicada em 2013.

O deputado Cláudio Abrantes (PPS), relator do processo na Câmara, explica que o ICMS foi escolhido por ter, entre os impostos, o maior montante de arrecadação no DF. A projeção para 2013 varia entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões. 1% deste valor, percentual previsto pelo projeto (entenda os detalhes ao lado), geraria R$ 60 milhões em investimentos para a área cultural.

Manifestações beneficiadas:

» Música, ópera e musicais

»Teatro

»Manifestações circenses

»Audiovisual

»Livro e leitura

»Culturas populares e tradicionais

» Patrimônio material e imaterial cultural, histórico e artístico, arquivos e demais acervos
»Dança

»Rádio e televisão educativos e culturais

»Pesquisa, informação, documentação e qualificação em gestão

»Artesanato

»Cultura digital, artes digitais e eletrônicas

40º Sarau Complexo



O estacionamento da quadra 302, no Centro Urbano de Samambaia se transforma em palco de poesia, música e teatro na próxima sexta-feira (26) durante o 40º Sarau Complexo. O encontro tem como principais objetivos a reivindicação pela construção do complexo cultural da região e a celebração do 23º aniversário da cidade. As atrações terão início às 19h e são gratuitas e livres para todos os públicos.

Confira abaixo as atrações:
Música:
Renatha Nayara
DF 130-2
Luna Marcoline
Baiano Silva
Estereofonia
Válvula DZ6
Coletivo Lado Ímpar
Ernando e Renan
Teatro e Circo:
Roupa de Ensaio
Nutra Teatro
Dança:
Michael Jeison
Poesia:
Domício Chaves
Lucia Oliveira
Luiz Vieira
Markão Aborígene
Apresentação:
Márcio Rodrigues e Caco Martins

40º Sarau Complexo
Data: 26 de outubro (sexta-feira)
Horário: 19h
Local: Estacionamento da quadra 302 – Centro Urbano Samambaia (Ao lado do Home Center Castelo Forte) - Samambaia/DF

26 anos da Academia Taguatinguense de Letras

















26 anos da Academia Taguatinguense de Letras

Posse do escritor Pedro Gomes como acadêmico titular, na cadeira 21, patroneada por Augusto dos Anjos.

No próximo dia 24 de novembro, a Academia Taguatinguense de Letras
(ATL) vai comemorar seu aniversário de 26 anos em grande estilo, com uma festa no Teatro da Praça (Espaço Cultural de Taguatinga), a partir das 19h. Um dos pontos altos da programação será a posse do escritor Pedro Gomes como acadêmico titular, na cadeira 21, patroneada por Augusto dos Anjos.
A posse de acadêmicos beneméritos também será outro momento importante da festa, que contará com a participação de integrantes da comunidade cultural e artística de Taguatinga e do
Distrito Federal.

O presidente da ATL/DF, escritor Gustavo Dourado, lembra que será um dos encontros mais especiais da academia que, ao completar 26 anos de existência, demonstra cada vez mais vitalidade, compromisso e engajamento com a causa cultural de Taguatinga e do Distrito Federal. Ele convida escritores, artistas, intelectuais e amigos da cultura a participarem deste grande evento, ocasião em que os apoiadores e colaboradores da ATL serão homenageados. Haverá ainda uma homenagem ao saudoso poeta Antonio Garcia Muralha, feita pelo escritor Wílon Wander Lopes, diretor do Jornal Satélite. Os acadêmicos também vão lançar livros e publicações. Todos farão uma homenagem aos centenários de Jorge Amado e Luiz Gonzaga. PARTICIPE!

Serviço:
Data: 24 de novembro de 2012 (Sábado), às 19h.
Local: Teatro da Praça - Espaço Cultural de Taguatinga.
CNB 1 Área Especial 1 - Av. Comercial Norte - Taguatinga Centro.
Ao lado da EIT - Em frente ao Santuário N. S. do Perpétuo Socorro,
Próximo à Estação do Metrô da Praça do Relógio.
Traje: Passeio completo.
Apoio: GDF - Administração de Taguatinga/SEDF e Câmara de Vereadores
Comunitários de Taguatinga (CVCT).
Confraternização literária seguida de coquetel.
Informações: Gustavo Dourado.

Jornalista Maria Félix Fontele
Secretária de Comunicação da Academia Taguatinguense de Letras

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

NO GAMA - O Boneco de Cor

Em 2007, Marcos Marrom teve a ideia de montar uma Cia. de bonecos, após trabalhar na Cia de teatro Nu Escuro. Em 2008 seguiu para a Argentina (Buenos Aires) para encontrar com Noalaní Agulló, Gabriela Civale, Eduardo Paéz e montou o espetáculo “Cuerda Bamba”, a partir do mesmo espetáculo, surgiu a ideia do nome da Cia. “Teatro do Maleiroformas animadas y títeres”. Na Argentina a Cia. realizou mais de 50 apresentações nos mais diversos locais, como o Museo del Títeres de Sarah Biachi , Calle de los títeres e no Festival de Teatro de La Classe Obrera e, passou ainda, dose meses trabalhando nas escolas públicas da Argentina pelo projeto “Teatro na Escola” da universidad San Martin.
No Brasil, em 2011, na cidade de Goiânia, a Cia. estreou a peça O Boneco de Cor com o objetivo de estimular a imaginação dos jovens e adultos a partir de uma história cerceada de muita poesia e interação com o público. No mesmo ano, foi premiada como melhor espetáculo pelo juri especial do III Festival Nacional de Teatro realizado em Goiânia pela Cia. Oops! O espetáculo passou ainda pelos festivais Goiânia em Cena, Sesc (Go), pelo projeto Cortina Aberta, Oficina Cultural Geppetto, (FRING) Festival Internacional de Curitiba - 2012, Teatro Coletivo em São Paulo, e pela 3ª edição do Festineco em Brasília.
No mesmo ano, a Cia. Teatro do Maleiro em parceria com a produtora Topada Produções, elaborou e produziu o seu primeiro curta-metragem, um documentário de 15 minutos, sobre o trabalho, vida e obra do artista Divino Jesus Moreira de Pinho, intitulado “Sr. Jesus?” Foram parceiros no projeto a Topada Produções Cinema e Vídeo, Oficina Cultural Geppetto, Cia de teatro Nu Escuro, Fora da Lei cinema e vídeo além de vários artistas.

Sinopse
 é uma história rodeada de personagens sociais do dia a dia, recheada de músicas, poesias e interação com o público. O espetáculo não é apenas uma história, mas um mundo com várias histórias. As personagens que habitam esse mundo são bonecos com os quais o ator-bonequeiro dialoga e contracena. Os bonecos, construídos de madeira e papel, ganham existência diante de nossos olhos para, com movimentos corporais cheios de sutilezas, brincarem de ser. Feito para todo tipo de público, o espetáculo cativa crianças, jovens e adultos.

 
Ficha Técnica:

Brasil-Goiânia
Dramaturgia/Roteiro: Teatro do Maleiro formas animadas y títeres
Elenco: Marcos Marrom
Direção: Marcos Marrom
Cenografia: Teatro do Maleiro formas animadas y títeres
Iluminação: Rodrigo Horse
Figurino: Alaíde Rodrigues,Gabriela Civale,Eduardo Paéz,Noalaní Agulló ,Regina Drozina e Sergio Mercurio
Fotos: Layza Vasconcelos
Construção dos bonecos: Marcos Marrom
Cartaz e banner: Marcos Amaral Lotufo
Folder: Ricardo Costa
Trilha Sonora: Paulo Moraes
Efeitos de sons: Dj Silvinho
Produção executiva : Rafael Ribeiro Blat
Apoio: Layza Vasconcelos, Oficina Cultural Geppetto, Paulino Marcos Santana, Marcionilia B. Silva Santana
Agradecimentos, Sheilla Marques, Cia Nu Escuro, Rita Alves, Ricardo Costa, Carina Tineu, Thaise Monteiro, Divino Moreira, Rosane Christina
 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012


CONVITE

LANÇAMENTO

3ª COLETÂNEA POÉTICA DO GUARÁ

10.dez.2012 - 20h

TEATRO DO GUARÁ
Endereço:
Administração Regional
Entrada "B" - ao lado da Feira
Guará II - Brasília - DF

HOMENAGEM AO MAESTRO JORGE ANTUNES


Jarbas Junior lança A Espada de Camões


 

 
Livro é a primeira biografia romanceada do autor de Os Lusíadas


Menezes y Morais*


O poeta, romancista, ensaísta e professor Jarbas Junior lança nesta terça-feira, 13/11, A Espada de Camões (Thesaurus, romance, 2012) a partir das 19h, na embaixada de Portugal, em Brasília (DF). A entrada é franqueada ao público.

Em 76 capítulos, o livro é a primeira biografia romanceada de Luiz Vaz de Camões, c. 1524 (provavelmente em Lisboa, Portugal). Morte: 10 de junho de 1580 (Lisboa, Portugal).

Unanimemente considerado o grande poeta de Portugal, autor de hinos à criação de um império católico mundial liderado por seu país (que colonizou inclusive o Brasil), pouco se sabe sobre a vida de Camões, cuja obra, Os Lusíadas (poesia, 1572) o imortalizou.


História de Portugal

No romance, Jarbas Junior trabalha as poucas informações que se tem notícia sobre Camões, homem renascentista, culto, liberal, amante de princesas e de mulheres do povo e que perdera um olho em batalha.

Em seu épico, Os Lusíadas, o poeta revisita a história de Portugal até o instante da partida histórica de Vasco da Gama (1497), que contornou o cabo de Boa Esperança até chegar à Índia.

A vida de Camões foi cheia de aventuras, como num filme-épico de ação, suspense, inveja, traições, amores, poesia, muita poesia. O poeta fez parte de expedições navais, teria alcançado Macau e sofrido um naufrágio na costa chinesa.


Sem dinheiro

Numa dessas odisseias, um amigo encontrou Camões perdido e sem dinheiro em Moçambique e o ajudou a voltar para Lisboa. O poeta viveu muitos anos na África e na Índia.

Esses dados históricos dão ossatura ao livro de Jarbas Junior, cuja linguagem entra no clima do romance de aventuras, quase no estilo capa e espada, como convém ao tema.

Contador de história que recorre ao recurso da polifonia – narrador e solilóquios das personagens se confundem – Jarbas Junior esculpe o perfil de um poeta de carne e osso, que passou fome, viveu com pouco ou sem nenhum dinheiro, mas, “com engenho e arte”, criou uma das obras literárias mais significativas da literatura universal.


Atualidade

A atualidade de Camões é espantosa no Brasil. Nenhum outro poeta – exceção do também lusitano Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805) – caiu no inconsciente coletivo popular brasileiro, sendo tema de inúmeras histórias de literatura de cordel.

O poeta brasiliense Renato Russo (Legião Urbana, Monte Castelo) também tirou uma casquinha.

Recordo, quando criança, em Teresina (PI), Isabel Menezes de Morais, minha saudosa mãe – me iniciou na Literatura, lendo para eu literatura de cordel – se deliciava e me embevecia lendo ‘romances’ de Camões.

Quando cresci, descobri que os poetas populares nordestinos também transformaram Bocage em temas de seus cordéis.

Tudo ficção, evidentemente, tudo fruto da imaginação dos nossos queridíssimos poetas populares. Camões é objeto de inúmeros folhetos de cordel de temas pitorescos; Bocage, de estórias que fazem fronteiras com o erótico, quase pornográfico.

Ao contrário, evidentemente, do romance de Jarbas Junior, que será autografado nesta terça-feira.


Jarbas Junior

Autor de O Mistério das Pérolas de Bashô (Thesaurus, 2010) e do romance A Jangada de Orson Welles (romance), entre outros, o poeta cearense radicado em Brasília Jarbas Junior credencia-se para mais esta empreitada literária.

N’A Espada de Camões Jarbas constrói uma narrativa enxuta, ágil, sem perder de vista o viés crítico-analítico. “O poeta se alimenta de livros, de paixões, sonhos, aventuras, amizades e de causas nobilitantes”.

Ou “O poeta é um ser espiritual. Por isso muitos foram confundidos com santos”. Ou ainda: “A espada é a extensão do canino humano, raio transformado em lâmina”, para esculpir o perfil de Camões.

“O dinheiro é a amargura do artista. As preocupações financeiras tiram o tempo precioso da atividade criadora”, o que levou Camões, certa vez, a escrever “sob encomenda dois sonetos de amor”.

É isso. Quem for à Embaixada de Portugal nesta terça-feira encontrará a essência daquele que escreveu:

“A verdade eu conto, nua e pura / vence toda a grandíloqua escritura!” Porque “O amor é um fogo que arde sem se ver / é ferida que dói e não se sente”.


*Menezes é poeta, professor, jornalista, escritor e historiador. Autor, entre outros, de A Íris do Olho da Noite (Thesaurus, romance, 2011).


Serviço

O que: A Espada de Camões (182 páginas, arte da capa: Thiago Sarandy).

Onde: Auditório do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua – Embaixada de Portugal, Brasília (DF).

Hora: a partir das 19h.




quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Guarani-Kaiowá



negros produto de sequestro
índios expulsos da terra
negros sem terra
índios donos da terra

Qualidade de Vida


Show de Eduardo Rangel na “Feira de Música”



A “Feira de Música” acontece gratuitamente neste sábado, 16h, nos jardins do CCBB, apresentando Eduardo Rangel, Andréa dos Santos (ex “Casa de Farinha”) e “Dinamites”. O espetáculo contará ainda com a divertida e interativa apresentação do ator Ricardo Guti.
Eduardo Rangel cantará acompanhado de uma super banda, composta por Joaquim França – teclados, Paulo Góes – guitarra, Oswaldo Amorim – contrabaixo, Renato Galvão – bateria, Ocelo Mendonça – violoncelo e sax, com participação especial de Liliana Gayoso no violino.
O CCBB disponibiliza ônibus gratuitos, identificados com a marca do Centro Cultural, saindo do Teatro Nacional a partir das 11h. Confira o itinerário no site www.bb.com.br/cultura - Obs. em caso de chuva, o show será realizado na área coberta do CCBB.
A Feira de Música é um dos mais importantes palcos de Brasília, tendo revelado nomes como Raimundos, Little Quail e Maskawo Roots. Com patrocínio do FAC Secretaria de Cultura do DF, o evento acontece em 2012 na área externa do CCBB, sábado SIM, sábado não, a partir de 16h16min. São 6 edições entre setembro e novembro de 2012, e o projeto continua em 2013.

SERVIÇO
Show de Eduardo Rangel na “Feira de Música”
Data: Sábado, 10 de novembro, 16h
Local: Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília
Músicos:
Eduardo Rangel (voz e teclado)
Joaquim França (teclados)
Paulo de Góes (guitarra e violão)
Oswaldo Amorim (contrabaixo)
Renato Galvão (bateria)
Ocelo Mendonça (violoncelo e sax)
Convidada: Liliana Gayoso (violino)
Ingressos: Entrada Franca
Classificação Indicativa: Livre para todos os públicos.
Endereço: Setor de Clubes Sul - SCES Trecho 2, Lt. 22
Cidade: Brasília
 
Links
Translate