quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O longa-metragem Bróder!, dirigido por Jeferson De


Jeferson De conversa sobre Bróder! Foto: Divulgação Palmares
O longa-metragem Bróder!, dirigido por Jeferson De, estará na jornada cinematográfica promovida pela Fundação Cultural Palmares para comemorar o Dia Nacional da Cultura, no próximo dia 5 de novembro. A exibição do filme integra a programação do seminário Qual é a face negra da mídia?, que contará também com a exibição dos filmes Trampolim do Forte e Jardim das Folhas Sagradas. Cada uma dessas produções aborda temas estreitamente ligados ao cotidiano dos afro-brasileiros.

Os dramas sociais retratados na tela serão objeto de debate, com a presença de artistas, profissionais ligados à cultura e público em geral. O evento será realizado em Brasília/DF, no Museu Nacional Honestino Guimarães, a partir das 9h. Em entrevista exclusiva ao site da Palmares, Jeferson De falou sobre a questão racial presente no filme; explicou a escolha do local das filmagens; e comentou o tema central do evento, Qual é a face negra da mídia?.

Confira a entrevista na íntegra.

Bróder! é um dos três longas selecionados para a jornada cinematográfica que será promovida pela Fundação Cultural Palmares, para celebrar o Dia Nacional da Cultura. Sob qual perspectiva o longa aborda a questão racial?

Bróder! é uma história de três amigos que nasceram na periferia de São Paulo. Jaiminho (Jonathan Haagensen) é um milionário jogador de futebol na Espanha; Pibe (Silvio Guindane) é um vendedor de seguros que mora num pequeno apartamento no centro de São Paulo; e Macu (Caio Blat) é um jovem sem perpectivas que mora no bairro do Capão Redondo. Os dois primeiros são negros e o personagem de Caio Blat é um jovem que se coloca como negro.

O que o motivou a escolher um ator branco (Caio Blat) para protagonizar o filme?

Minha intenção sempre foi ampliar o debate para além da negritude. Ou seja, passar a discutir a questão racial também sob a perspectiva da branquitude. Uma coisa ruim para nós, artistas, é sermos óbvios. No meu primeiro longa-metragem queria apresentar algo novo, provocador e instigante. Nesse sentido, a escolha de Caio Blat e de Cássia Kiss não poderia ter sido mais acertada. Nossas discussões durante o processo do filme foram intensas e, para mim, foi muito importante saber que a questão racial não se limita somente ao que os artistas negros e negras têm a dizer. Há muitos não-artistas interessados em discutir com profundidade todos os aspectos da questão.

Por que rodar o filme na região do Capão Redondo?

Ali moram vários amigos e profissionais que já estavam pensando o filme comigo, como o escritor Ferréz. Também sempre fui um admirador da arte que se produz na zona sul de São Paulo, uma cultura urbana que se renova a cada dia, na música, nas artes plásticas, na literatura e, agora, com o cinema. Do ponto de vista de locação, é um dos lugares mais belos da cidade.

Na sua avaliação, reproduzindo a questão central do seminário, qual é a face negra da mídia?

A face que me interessa neste momento é a mais oculta. Aquela que se coloca atrás dos palcos, atrás das câmeras, atrás das capas dos livros e das revistas. Ou seja, a face negra que é do roteirista, do produtor, do editor, enfim, do pensador de arte. Por exemplo, no cinema, reconheço o trabalho magnífico de atrizes e atores no cinema e na televisão mas, neste momento, temos urgência em estabelecer e fortificar o trabalho que é elaborado no momento anterior ao trabalho cênico. Num filme, por exemplo, os atores ocupam um espaço muito frágil e, em geral, são os últimos a chegar no projeto. Quando ele escolhe o filme (ou é escolhido) tudo já está definido: história, orçamento, lançamento etc.

Sinopse
O filme Bróder! foi o grande vencedor da 38ª edição do Festival de Cinema de Gramado e levou três Kikitos: Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Ator. O tema central do primeiro longa dirigido por Jefferson De gira em torno do abismo social que caracteriza uma metrópole como São Paulo e trata das diferenças raciais e sociais, da estrutura da família e do sucesso de seus integrantes. O diretor resolveu dar a um ator branco o papel de protagonista da obra com o intuito de questionar o que é ser negro e o que é ser branco em um país em que as riquezas são diferentes, mas miséria ainda é miséria em qualquer lugar.

Focada na amizade, a história retrata o reencontro de três amigos que dividiram a infância no Capão Redondo, região da periferia paulistana. Um é jogador de futebol em ascensão no exterior; o outro é um recém-formado em Direito que trabalha como corretor de imóveis; e o protagonista se mantém no bairro e flerta com a criminalidade. Os amigos tentarão ajudar a resolver os problemas do personagem central com a criminalidade local, enquanto se conscientizam de que, embora separados pela vida, algo muito maior os une.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Jeferson De
Roteiristas: Newton Cannito e Jeferson De
Elenco: Caio Blat (Macu), Jonathan Haagensen (Jaiminho), Silvio Guindane (Pibe), Cássia Kiss (Dona Sônia), Ailton Graça (Seu Francisco)
Trailer: http://tv.estadao.com.br/videos,trailer-de-broder,112064,262,0.htm

Inscrições

A Fundação Cultural Palmares oferece 100 vagas gratuitas para participação do público no seminário. Para fazer a inscrição, deve-se seguir a programação abaixo:

Programação 01
Turno da manhã. Seminário Qual é a Face Negra da Mídia? (9h as 12h)

Programação 02
Turno da tarde. Exibição de filmes (14h as 18h)
Filme 01: Bróder (14h30)
Filme 02: Trampolim do Forte (16h30)

Programação 03
Turno noturno. Exibição de filme (19h as 21h)
Filme 03: Jardim das Folhas Sagradas (19h30)

Depois de escolher a programação desejada, o interessado deve enviar uma mensagem para o endereço eletrônico diadacultura@palmares.gov.br, com os seguintes dados:

NOME:
DATA DE NASCIMENTO:
CI:
ATIVIDADE PROFISSIONAL:
PROGRAMAÇÃO QUE DESEJA: (01, 02 OU 03)

Observações importantes: Professores, organizações não-governamentais e grupos culturais podem solicitar inscrição de grupos. As inscrições serão aceitas até o preenchimento das 100 vagas disponíveis e apenas estarão confirmadas com o recebimento, por e-mail, de resposta da coordenação do evento. Na data do seminário haverá, na entrada do Museu Nacional Honestino Guimarães, uma lista com o nome de todos os inscritos.

Serviço
Seminário Qual é a face negra da mídia?
Data: 5 de novembro de 2010
Horário: A partir das 9h
Local: Museu Nacional Honestino Guimarães
Endereço: Conjunto Cultural da República - Esplanada dos Ministérios - Brasília/DF

Matérias relacionadas:
Palmares oferece 100 vagas para seminário com mostra de filmes inéditos
Diretor de Trampolim do Forte fala sobre o filme
SEMINÁRIO: "Qual é a face negra da mídia?"

2 comentários:

  1. este blog não tá sendo atualizado, né?!

    ResponderExcluir
  2. bem, postei sobre o 14o poemação no
    www.bardoescritor.net

    []s

    ResponderExcluir

 
Links
Translate